galeriasfna

sobre compartilhe

Abrir espaços para a participação criativa de crianças e adolescentes é o objetivo primeiro das Galerias FNA.

A Fundação Negro Amor quer incentivar, nas crianças e adolescentes, o despertar de seus talentos, fortalecer suas iniciativas e esforços pessoais, além de encorajá-los a agir com honestidade para o crescimento individual e o bem de suas comunidades.

Galerias FNA é, portanto, um espaço criado para a exposição da criação artística dos alunos das escolas comunitárias apoiadas pela Fundação Negro Amor e parte da necessidade de motivar o aluno à leitura e à escrita, de estimular a expressão criativa individual e coletiva e de dar visibilidade e compartilhar o que pensam e o que sentem as crianças e adolescentes residentes em bairros populares de Salvador e da província de Namibe, em Angola.

“BRINCAR DE LER E DESENHAR HISTÓRIAS”

Galerias FNA lança a exposição BRINCAR DE LER E DESENHAR HISTÓRIAS: composta por 25 desenhos das crianças dos grupos 3, 4 e 5 da Escola Comunitária Capela São José, em Salvador, Bahia. A mostra é produto do projeto “Brincar de ler e escrever”, selecionado no II Edital FNA Lendo o Mundo. O projeto se desenvolveu a partir das vivências com rodas de leitura de histórias de matriz afrodescendente realizadas semanalmente com as crianças, que a partir das histórias ouvidas criam, sonham e imaginam suas novas histórias através de desenhos.

“EWÁ E O ARCO ÍRIS”

Galerias FNA lança a exposição EWÁ E O ARCO ÍRIS: composta por 20 telas com pintura das crianças do Centro Comunitário Tia Balá, em Salvador, Bahia. A mostra é produto do projeto “Contando e recontando a África”, selecionado no II Edital FNA Lendo o Mundo. O projeto se desenvolveu a partir da leitura de histórias de matriz africana e da apreciação do filme “Ewá e o arco íris” que conta a história da deusa africana Ewá que vivia no rio Yewa, na África. Ewá invocava a força dos ventos e das chuvas para favorecer a colheita, e a força da luz do arco íris a protegia.

“IMAGINAÇÃO”

Galerias FNA lança a exposição “Imaginação”, composta por 12 desenhos das crianças do 4º e 5º anos, da Escola Aberta do Calabar. A mostra é fruto do projeto “Alfabrincando”, selecionado no II Edital FNA 2016 – Lendo o mundo. A oficina de leitura se desenvolveu a partir do questionamento: O que é imaginação? Através da escuta de músicas e contação de histórias as crianças refletiram que imaginação é: “histórias de minha cabeça”; “o sonho é imaginação?”; “pensar num elefante vermelho é imaginação” e criaram coletivamente a seguinte história:

Era uma vez um menino que imaginava que estava em uma praia cheia de gente. Era uma praia muito linda, de areia amarela e água azul clara. Nessa praia tinha muitas pessoas conhecidas e muitos amigos dele. Eles decidiram pegar uma onda no mar, ondas grandes e viram pequenos caranguejos e um cardume de peixes. Os peixes eram muito bonitos e muito rápidos… De repente surgiu um tubarão perseguindo um golfinho, e eles tentaram ajudar o golfinho. O tubarão desistiu de perseguir o golfinho e foi atrás dos peixinhos. Os outros meninos foram ajudar os peixinhos. Então, o tubarão desistiu e foi atrás deles. Foi quando as crianças tiveram a ideia de nadar até o raso e o tubarão não conseguiu pegá-los. Chegando à areia pediram ajuda a um policial, que deu um tiro para cima e assustou o tubarão. Foi quando chegou o pai do tubarão e o levou para casa.

“OUVINDO E DESENHANDO HISTÓRIAS”

Galerias FNA lança a exposição “OUVINDO E DESENHANDO HISTÓRIAS: composta por 27 desenhos das crianças dos Grupos 4 e 5, do Educandário Creche Renovação, em Salvador, Bahia. A mostra é produto do projeto “Cante um conto: Socializando saberes”, selecionado no II Edital FNA 2016 – Lendo o mundo. O projeto se desenvolveu a partir da leitura de histórias para as crianças que desenharam e criaram suas próprias releituras das histórias ouvidas.

“NITO”

Galerias FNA lança a exposição “NITO”: composta por 27 desenhos das crianças do 1º ano da Escola Aberta do Calabar, em Salvador, Bahia. A mostra é fruto do projeto ‘Alfabrincando’, selecionado no I Edital FNA 2015 – Brincar de ler e escrever. O projeto se desenvolveu a partir da leitura coletiva do livro de Sonia Rosa, “O menino Nito”, que inspirou nas crianças o desejo de criar e desenhar sua própria estória:

Nito e a Ilha de Sodó

Era uma vez um navio com Nito. Aí ele navegou até a Ilha de Sodó e foi quando Leonardo chamou Nito para pilotar. Nito embarcou com Leonardo e foram para o parque brincar e tomar sorvete, depois do sorvete eles foram para casa, pois estavam muito sujos porque brincaram muito. Depois eles saíram e foram para a casa do avô de Nito, e depois foram para a Barra vê o cantor Tiaguinho com a mãe, a irmã e a prima de Lara. Eles encontraram Agatha no caminho e antes de voltarem para casa viram a passagem da tocha olímpica.

“CABELO”

Galerias FNA lança a exposição “CABELO”, composta por 28 desenhos dos alunos do Centro Comunitário Tia Balá e da Escola Aberta do Calabar, em Salvador, Bahia. A mostra é produto da Oficina de expressão: Lendo o mundo, desenvolvida pela FNA com a assessoria da arte educadora Zenaide Paludo. O projeto se desenvolveu a partir da necessidade das crianças de falar sobre os cabelos, sobre o preconceito com ‘cabelo duro’, com ‘cabelo ruim’ e sobre as diferenças de cabelos. Os adjetivos dados aos cabelos foram ganhando formas na argila, nos textos, nos desenhos e nos jogos teatrais ancorando a construção da identidade e autoimagem.

“EU AMO MINHA ESCOLA”

Galerias FNA lança a exposição “EU AMO MINHA ESCOLA” que homenageia os 33 anos de existência, resistência e luta da Escola Aberta do Calabar, em Salvador, Bahia. Composta por 35 desenhos e pequenos textos de alunos da pré-escola ao 5º ano, a mostra é resultado de dinâmicas lúdicas e criativas vivenciadas pelas educadoras Ana Rita, Dorinha, Rosângela, Bete e Lúcia com seus alunos, que demonstram suas reflexões sobre o valor e a essência da escola comunitária, traduzidas no texto de Yasmin, aluna do 3º ano: “ A Escola Aberta do Calabar não tem dono, a gente é que é o dono, por isso a gente tem que tomar conta dela”. Boas leituras!

“HEREROS EM GIZ”

Galerias FNA estreia com a exposição “HEREROS EM GIZ”, composta de 45 desenhos dos alunos da Escola dos Hereros, na província de Namibe/Angola. A mostra é produto do projeto Nossa Cara, desenvolvido pela FNA com a assessoria da educadora Bete Tourinho, em agosto de 2014, naquela província. Entre outras experiências e vivências aplicadas, percebeu-se que os alunos tinham dificuldade em entender a diferença entre desenho e texto e, o desafio vivenciado foi que cada aluno criasse seu autorretrato, a partir de um traçado da cabeça e pescoço.  O projeto Nossa Cara, então, trabalhou a construção da identidade e autoimagem, através da observação de características do corpo, do rosto, da cor da pele, dos olhos, da boca e dos dentes, conjugando as partes do corpo, a escrita e a leitura.