galeriasfna

sobre compartilhe

Abrir espaços para a participação criativa de crianças e adolescentes é o objetivo primeiro das Galerias FNA.

A Fundação Negro Amor quer incentivar, nas crianças e adolescentes, o despertar de seus talentos, fortalecer suas iniciativas e esforços pessoais, além de encorajá-los a agir com honestidade para o crescimento individual e o bem de suas comunidades.

Galerias FNA é, portanto, um espaço criado para a exposição da criação artística dos alunos das escolas comunitárias apoiadas pela Fundação Negro Amor e parte da necessidade de motivar o aluno à leitura e à escrita, de estimular a expressão criativa individual e coletiva e de dar visibilidade e compartilhar o que pensam e o que sentem as crianças e adolescentes residentes em bairros populares de Salvador e da província de Namibe, em Angola.

MEU DESENHO, MINHA HISTÓRIA

Galerias FNA lança a exposição MEU DESENHO, MINHA HISTÓRIA composta por 46 desenhos das crianças do Grupo 3 do Centro de Integração Familiar – CEIFAR, em Salvador, Bahia. A mostra é produto do projeto “Mergulhando no mundo da leitura”, selecionado no III Edital FNA – A Leitura Irmana e Amplia. O projeto se desenvolveu a partir da experiência com rodas de contação de histórias com as crianças que fizeram suas releituras criando desenhos que contam uma nova história. Cada criança construiu um livro de histórias com desenhos e as narrativas orais foram transcritas pela professora.


PEQUENOS NARRADORES

Galerias FNA lança a exposição PEQUENOS NARRADORES composta por 32 desenhos das crianças do 3º, 4º e 5º anos da Escola Aberta do Calabar, em Salvador, Bahia. A mostra é produto do projeto Pequenos Narradores, desenvolvido pela Takapy Digital Art, com mediação da arte educadora Zê Paludo e assessoria da FNA. Vários referenciais foram usados nas oficinas como literatura, música, filmes, fotografias, corpo, dramatização e jogos, a fim de criar e vivenciar situações numa atmosfera propícia e acolhedora para fruição e criação de histórias e desenhos pelas próprias crianças. As histórias e desenhos criados irão se transformar numa série de desenho animado para televisão. Criar história é coisa de criança.

CHUVA

Galerias FNA lança a exposição CHUVA composta por 20 desenhos das crianças do grupo 3 da Escola Capela São José, em Salvador, Bahia. O projeto se desenvolveu a partir da reflexão sobre a estação do inverno inspirada pela leitura do livro “A Chuva”, de Gisélia Machado Belarmino, em que as crianças criaram suas releituras da história com desenhos.

O QUE EU LEVO NA MINHA VIAGEM? 

Galerias FNA lança a exposição O QUE EU LEVO NA MINHA VIAGEM? composta por 33 desenhos das crianças dos 2º, 4º e 5º anos da Escola Aberta do Calabar, em Salvador, Bahia. O projeto se desenvolveu a partir da leitura da letra e da música “Superfantástico”, da Turma do Balão Mágico, que inspirou as crianças a refletir sobre o que levariam em sua viagem. Os desenhos traduzem os desejos das crianças por um balão mágico cheio de alegria, família, união, amor, paz e vida em sua viagem.

MEU DESENHO PARA MINHA ESCOLA

Galerias FNA lança a exposição MEU DESENHO PARA MINHA ESCOLA: composta por 22 desenhos das crianças do Centro Comunitário Tia Balá, em Salvador, Bahia. A mostra é produto do desafio lançado para as crianças: Vamos decorar e deixar nossa escola bonita? As crianças prontamente expressaram o que mais gostam na escola: os colegas, as prós, o espaço físico e as muitas leituras de histórias vivenciadas coletivamente.

ASA BRANCA

Galerias FNA lança a exposição ASA BRANCA: composta por 15 desenhos das crianças dos 4º e 5º anos da Escola Aberta do Calabar, em Salvador, Bahia. A mostra é produto do projeto “Alfabrincando”, selecionado no II Edital FNA Lendo o Mundo. O projeto se desenvolveu a partir da leitura da poesia e da música Asa Branca, da dupla Luiz Gonzaga e Humberto Teixeira, que despertou inquietação e reflexão nas crianças sobre a seca no Nordeste brasileiro: a terra ardendo, morrer de sede, sertão, ave Asa Branca, chuva e embalados no ritmo do baião criaram releituras através de desenhos e cores.

BRINCAR DE LER E DESENHAR HISTÓRIAS

Galerias FNA lança a exposição BRINCAR DE LER E DESENHAR HISTÓRIAS: composta por 25 desenhos das crianças dos grupos 3, 4 e 5 da Escola Comunitária Capela São José, em Salvador, Bahia. A mostra é produto do projeto “Brincar de ler e escrever”, selecionado no II Edital FNA Lendo o Mundo. O projeto se desenvolveu a partir das vivências com rodas de leitura de histórias de matriz afrodescendente realizadas semanalmente com as crianças, que a partir das histórias ouvidas criam, sonham e imaginam suas novas histórias através de desenhos.

EWÁ E O ARCO ÍRIS

Galerias FNA lança a exposição EWÁ E O ARCO ÍRIS: composta por 20 telas com pintura das crianças do Centro Comunitário Tia Balá, em Salvador, Bahia. A mostra é produto do projeto “Contando e recontando a África”, selecionado no II Edital FNA Lendo o Mundo. O projeto se desenvolveu a partir da leitura de histórias de matriz africana e da apreciação do filme “Ewá e o arco íris” que conta a história da deusa africana Ewá que vivia no rio Yewa, na África. Ewá invocava a força dos ventos e das chuvas para favorecer a colheita, e a força da luz do arco íris a protegia.

IMAGINAÇÃO

Galerias FNA lança a exposição “Imaginação”, composta por 12 desenhos das crianças do 4º e 5º anos, da Escola Aberta do Calabar. A mostra é fruto do projeto “Alfabrincando”, selecionado no II Edital FNA 2016 – Lendo o mundo. A oficina de leitura se desenvolveu a partir do questionamento: O que é imaginação? Através da escuta de músicas e contação de histórias as crianças refletiram que imaginação é: “histórias de minha cabeça”; “o sonho é imaginação?”; “pensar num elefante vermelho é imaginação” e criaram coletivamente a seguinte história:

Era uma vez um menino que imaginava que estava em uma praia cheia de gente. Era uma praia muito linda, de areia amarela e água azul clara. Nessa praia tinha muitas pessoas conhecidas e muitos amigos dele. Eles decidiram pegar uma onda no mar, ondas grandes e viram pequenos caranguejos e um cardume de peixes. Os peixes eram muito bonitos e muito rápidos… De repente surgiu um tubarão perseguindo um golfinho, e eles tentaram ajudar o golfinho. O tubarão desistiu de perseguir o golfinho e foi atrás dos peixinhos. Os outros meninos foram ajudar os peixinhos. Então, o tubarão desistiu e foi atrás deles. Foi quando as crianças tiveram a ideia de nadar até o raso e o tubarão não conseguiu pegá-los. Chegando à areia pediram ajuda a um policial, que deu um tiro para cima e assustou o tubarão. Foi quando chegou o pai do tubarão e o levou para casa.

OUVINDO E DESENHANDO HISTÓRIAS

Galerias FNA lança a exposição “OUVINDO E DESENHANDO HISTÓRIAS: composta por 27 desenhos das crianças dos Grupos 4 e 5, do Educandário Creche Renovação, em Salvador, Bahia. A mostra é produto do projeto “Cante um conto: Socializando saberes”, selecionado no II Edital FNA 2016 – Lendo o mundo. O projeto se desenvolveu a partir da leitura de histórias para as crianças que desenharam e criaram suas próprias releituras das histórias ouvidas.

NITO

Galerias FNA lança a exposição “NITO”: composta por 27 desenhos das crianças do 1º ano da Escola Aberta do Calabar, em Salvador, Bahia. A mostra é fruto do projeto ‘Alfabrincando’, selecionado no I Edital FNA 2015 – Brincar de ler e escrever. O projeto se desenvolveu a partir da leitura coletiva do livro de Sonia Rosa, “O menino Nito”, que inspirou nas crianças o desejo de criar e desenhar sua própria estória:

Nito e a Ilha de Sodó

Era uma vez um navio com Nito. Aí ele navegou até a Ilha de Sodó e foi quando Leonardo chamou Nito para pilotar. Nito embarcou com Leonardo e foram para o parque brincar e tomar sorvete, depois do sorvete eles foram para casa, pois estavam muito sujos porque brincaram muito. Depois eles saíram e foram para a casa do avô de Nito, e depois foram para a Barra vê o cantor Tiaguinho com a mãe, a irmã e a prima de Lara. Eles encontraram Agatha no caminho e antes de voltarem para casa viram a passagem da tocha olímpica.

CABELO

Galerias FNA lança a exposição “CABELO”, composta por 28 desenhos dos alunos do Centro Comunitário Tia Balá e da Escola Aberta do Calabar, em Salvador, Bahia. A mostra é produto da Oficina de expressão: Lendo o mundo, desenvolvida pela FNA com a assessoria da arte educadora Zenaide Paludo. O projeto se desenvolveu a partir da necessidade das crianças de falar sobre os cabelos, sobre o preconceito com ‘cabelo duro’, com ‘cabelo ruim’ e sobre as diferenças de cabelos. Os adjetivos dados aos cabelos foram ganhando formas na argila, nos textos, nos desenhos e nos jogos teatrais ancorando a construção da identidade e autoimagem.

EU AMO MINHA ESCOLA

Galerias FNA lança a exposição “EU AMO MINHA ESCOLA” que homenageia os 33 anos de existência, resistência e luta da Escola Aberta do Calabar, em Salvador, Bahia. Composta por 35 desenhos e pequenos textos de alunos da pré-escola ao 5º ano, a mostra é resultado de dinâmicas lúdicas e criativas vivenciadas pelas educadoras Ana Rita, Dorinha, Rosângela, Bete e Lúcia com seus alunos, que demonstram suas reflexões sobre o valor e a essência da escola comunitária, traduzidas no texto de Yasmin, aluna do 3º ano: “ A Escola Aberta do Calabar não tem dono, a gente é que é o dono, por isso a gente tem que tomar conta dela”. Boas leituras!

HEREROS EM GIZ

Galerias FNA estreia com a exposição “HEREROS EM GIZ”, composta de 45 desenhos dos alunos da Escola dos Hereros, na província de Namibe/Angola. A mostra é produto do projeto Nossa Cara, desenvolvido pela FNA com a assessoria da educadora Bete Tourinho, em agosto de 2014, naquela província. Entre outras experiências e vivências aplicadas, percebeu-se que os alunos tinham dificuldade em entender a diferença entre desenho e texto e, o desafio vivenciado foi que cada aluno criasse seu autorretrato, a partir de um traçado da cabeça e pescoço.  O projeto Nossa Cara, então, trabalhou a construção da identidade e autoimagem, através da observação de características do corpo, do rosto, da cor da pele, dos olhos, da boca e dos dentes, conjugando as partes do corpo, a escrita e a leitura.